terça-feira, 27 de dezembro de 2005

friday i´m in love

I don´t care if Monday is blue, Tuesday´s gray and Wednesday too, Thursday I don´t care about you, it´s Friday I´m in love.
Monday you can fall apart, Tuesday Wednesday break my heart, Thursday doesn´t even start, it´s Friday I´m love.
Saturday wait and Sunday always comes too late, but Friday never hasitate.
I don´t care if Monday´s black. Tuesday, Wednesday heart attack. Thursday never looking back it´s Friday I´m love.
Monday you can hold your head, Tuesday Wednesday stay in bed. Oh Thursday watch the walls instead it´s Friday I´m in love.
Saturday wait and Sunday always comes too late but Friday never hesitate.
Dressed up to the eyes it´s a wonderful surprise to see your shoes and your spirits rise throwing out your frown and just smiling at the sound and as sleek as a shriek spinning round and round. Always take a big bite it´s such a gorgeous sight to see you eat in the middle of the night, you can never get enough , enough of this stuff it´s Friday I´m in love.  

quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

de paz com o mundo?

Queria terminar o ano sem pendências, desavenças ou rancor, mágoas no coração. Querer nem sempre é sinônimo de poder. Mas hoje, alguém me mostrou que podemos rir da nossa própria desgraça. Alguém  me mostrou que sempre teremos escolhas. Podemos sentar, chorar e lamentar. E ali permanecer, fraco e triste, infeliz. Ou podemos encarar que nada é pra sempre, essa pode ser mais uma situação passageira. E podemos sim rir dela. Podemos sorrir pra vida mesmo diante de um tapa, porque hoje, finalmente, percebi que a vida pode ser vivida sem tantas lamentações. E só.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

quem sabe eu ainda sou uma garotinha

tenho medo do escuro, tenho medo da vida. Sou aquela mesma garotinha que se agarrava à esperança de que o mundo seria um lugar melhor e que minha mãe duraria pra sempre. Eu sou aquela que ainda quer acreditar que mamãe estará lá, sempre, pronta pra resolver todos os problemas e me defender com unhas  e dentes para esse mundo cruel.
eu sou aquela mesma, não mudei. Ainda acredito em gnomos e seres mágicos, ainda tenho vontade de brincar de boneca, ainda amo e penso que será um amor eterno, que não acabará nem mesmo com a morte. Quero filhos lindos, um casal, um moleque e uma molecota.
eu sou ainda aquela que se surpreende quando o Papai Noel vem, quando as estrelas se mostram mais brilhantes, que acredita que São Jorge vive na Lua travando sua eterna guerra contra o Dragão, que as nuvens têm gosto de algodão doce. Eu sou aquela mesma, sem tirar nem por.
se bem que se tivesse que por alguma coisa na minha vida, acho que acrescentaria os problemas. Mas alguém há de resolvê-los por mim.