quinta-feira, 28 de setembro de 2006

arrumar o coração para o novo amor que quer entrar


Enfim é primavera. Os dias estão mais alegres e coloridos. Mais gostosos de serem vividos. Primavera tem gosto de chocolate com morango. Primavera tem a aparência de um fim de tarde alaranjado com bolas de sabão. Primavera tem jeito de palavras sussurradas ao pé do ouvido e hoje eu quero viver um grande amor. Guardei as fotos antigas e os depoimentos largados. Coloquei tudo junto numa caixinha junto com as boas lembranças. Agora é abrir os olhos pra essa nova realidade e enxergar a beleza das flores, sentir que finalmente é primavera. O amor está voltando e ele vem em boa companhia. Ele está voltando e junto com ele tem voltado a minha fé. Estou aprendendo a amar de novo e acho que nunca vou aprender o suficiente. E essa é a melhor fase de todas e de tudo. Estou apaixonada-amando, estou comprometida-namorando, estou nas nuvens e não quero voltar. E mesmo que um dia isso acabe, eu sei que posso aprender tudo de novo. Mas por ora, é lá nas nuvens que eu quero estar.  

... in off ...


...o tcc está me matando... por isso estou off line...
socorro!

sexta-feira, 15 de setembro de 2006

My stomach was filled by butterflies


Hoje é sexta-feira e uma semana atrás eu estava vendo o mar, sentindo a brisa emaranhar meus cabelos. Hoje, a realidade colorida é o que eu consigo enxergar através da janela da agência. No computador, pedidos intermináveis de autorizações, planos, planilhas. No caderninho, lista de pendências. Revisar texto pro tcc, iniciar planejamento do tcc. Dormir, acordar, comer, respirar, viver tcc. Isso está me consumindo. Abro a cortina e despedaço o aviãozinho da Tam... ai minha nossa! Comemoro a vitória do Boca, brinco com todos os sãopaulinos. Continuo com as janelinhas do msn piscando incessantemente. Não consigo falar com todo mundo. Minha cabeça está tão embaralhada, cheia de projetos, números dançantes. A impressora quebrou, não dá mais pra ter cores no sulfite. Não gosto dos meus planos em pb. Minha vida é full of colors all-the-time! Tcc me chama mais tarde, orientação com a ararinha azul. Quero ser o melhor grupo, quero vender a melhor criação, quero ver o sorriso no rosto do meu cliente. Eu satisfeita comigo. À noite, show do Rappa. Talvez. Amanhã? Não sei. A certeza de hoje é poder sair daqui com todas as pendências encerradas e com o caderninho em branco. O tcc? Não, o tcc continua, ainda restam 2 meses. Então fecho os olhos por um momento e até consigo escutar o barulho das ondas daquele mar. Sinto até o sol no meu rosto. Posso sentir também o cheiro do seu corpo. Aí meu estômago se alvoroça e isso me lembra que no fim do dia será no seu abraço que vou aconchegar meu corpo. E eu posso estar lá, no paraíso, de novo.

terça-feira, 12 de setembro de 2006

quando você me abraça o mundo gira devagar


Feriadão prolongado em clima de honey moon. Nada mais justo para uma pessoa que há 2 anos não sabe o que são umas boas férias. Se o paraíso existe, acreditem, eu estive lá por esses dias. O espírito voltou a brilhar, a alma voltou a sorrir e o meu coração... ah, o meu coração... voltou enxergar por entre o emaranhado das coisas da vida. Tudo foi tão mágico que chega a dar medo, frio na espinha. Mas não quero pensar no que pode ser daqui pra frente. Só quero botar meu fone no ouvido e ouvir aquela música que me faz lembrar você. De você e da imensidão do seu sorriso, de você e do infinito dos seus olhos, de você e da delicadeza do seu abraço, de você e do seu toque suave, de você e de suas palavras carinhosas, de você e do seu bom dia e boa noite, de você e dos seus beijos infinitamente perfeitos. Quero esquecer que ontem foi segunda-feira e abrir a janela pra permitir que o sol volte a entrar. Quero que cheguem as noites e que elas sejam eternas enquanto houver você ao meu lado. E assim eu posso ter de volta a vontade de dissertar sobre as coisas maravilhosas da vida, posso dizer bobagens. Sim, eu posso. Eu quero acreditar que o amor pode realmente existir. Por enquanto há paixão, o que já é um bom começo. Um sinal de que aqui dentro ainda existe alguma coisa que clama pra que as coisas sejam realmente perfeitas. E que tudo se encaixe no seus devidos lugares e que tudo possa ser possível para aqueles que realmente acreditam que sempre haverá amor pra recomeçar.
Amém!

segunda-feira, 4 de setembro de 2006

pieces of me


Desde princesa acreditava em contos de fada. Mas o encanto se quebrou e hoje, a princesinha aqui não acredita em mais nada. Contos de fada não existem, amor-perfeito menos ainda. Amor eterno, nem me fale. Felicidade é um estado momentâneo de pura ilusão. Fidelidade não existe, amor pra vida toda ficou pra trás. Aquele encanto, aquele brilho nos olhos, o soar dos sininhos quando os corações se encontram, isso tudo é um grande clichê de romance americano. Nada é real de verdade. Os relacionamentos estão cada vez mais desgastados e o respeito mútuo é uma coisa que, com o tempo, acaba. E com o tempo acaba o carinho, acaba a paixão. Tudo vai ficando tão igual, tão chato que o final é a única saída plausível para um coração despedaçado. Agora não quero mais recolher os caquinhos e juntá-los com cola, porque por mais que me digam que o coração se regenera, eu deixei minhas expectativas pra trás. Não consigo mais acreditar em nada daquilo que ouvia quando princesa. A vida é bem mais cruel do que aparenta ser. Fiquei desiludida, sim, é verdade. Não consigo acreditar na beleza das coisas mais simples e tá meio difícil enxergar o amor por detrás dos seus belos olhos verdes. Ainda me questiono porque diabos as coisas não deram certo?? Por que um amor tão bonito acaba?? Por que não podemos ser felizes até que a morte nos separe?? Por quê?? Eu queria muito saber das coisas do coração... mas eu não sei nada. É, tem dias que é fogo. Principalmente dias como hoje... frios e cinzas... 

sexta-feira, 1 de setembro de 2006

o mundo e suas teorias


É começo de mês. Um novo mês, um novo dia. A cada dia, uma nova vida, talvez. O mundo é mesmo uma coisa engraçada. Einstein dizia que tudo na vida é relativo. Cara esperto esse! E não é que ele tinha razão. Todos os dias eu vou dormir super tarde. Do minuto em que me deito até o minuto que meu celular desperta, passam-se segundos. Eu mal fecho os olhos, já tá na hora de abrí-los de novo. Daí quando chego na empresa, a menos que eu tenha muita coisa pra fazer, as horas não passam nunca, são como longos meses, daqueles sem feriados prolongados. Tem também um cara, o Murphy. A teoria dele é ainda mais legal. Ele dizia que tudo o que pode dar errado, dará. E ele também estava certo. Basta eu acordar atrasada para que o ônibus não passe nunca, para que todos os semáforos estejam fechados. Para que ocorram todos os possíveis acidentes no caminho que eu faço, para que as pessoas mais lesadas do mundo travem a catraca com uma nota de 50 paus. Ok, ok! Não adianta. Quando eu acordo no horário, sempre dá tudo certo. Mal chego no ponto, o ônibus passa, pega todos os faróis abertos, sem trânsito e o motorista é “o” veloz. É... é mesmo engraçado. Daí, tem uma outra teoria recente, que mamis me enviou por e-mail, que falava sobre os burros motivados. Essa teoria é mesmo muito boa e interessante. Essa teoria dizia que hoje as pessoas estão “fazendo de conta” que são alguém e o que realmente conta, não é o que você é, mas sim o que você tem. Que quem assume cargos de responsabilidade, nem sempre são aqueles que realmente sabem, entendem ou que são competentes para tal. Normalmente são aqueles que mais sabem vender seu peixe, são aqueles que mais têm marketing pessoal, são aqueles tais dos burros motivados. Sim, porque motivação pra eles, não falta. Afinal, são deles também os melhores salários. Interessante como os caras podem ter tanta razão em relação às coisas. Esses dias, eu quietinha no meu canto e feliz com meu emprego (porém nada motivada), recebi uma proposta de uma outra casa. Fui meter as caras e fazer a tal da entrevista. Percebi, mais do que nunca, que realmente o que importa não é o que você é, o que você sabe ou o que você faz. Falamos o tempo todo sobre as pessoas que eu conheço, com quem trabalhei, como é o sr. Roberto Justus, se ele tem o cabelo duro, se ele é antipático, se ele blá blá blá blá... e eu??? E minhas qualidades como profissional??? Não sei... enfim, tô a mercê da virada do mês, a mercê da nova proposta, a mercê do meu inferno astral... sim, meus cumpleaños se aproximam...
Ai, que medo!