sexta-feira, 31 de agosto de 2007

5 semanas, 31 dias e dias com 30 horas. Odeio Agosto!


Essa semana voou. Eu nunca vi um mês de agosto passar tão rápido como este, juro, nunca mesmo. Agosto costuma ser o mês que eu menos gosto porque tem 5 semanas e nenhum feriado. Mas dessa vez, passou que nem vi. Não sei se é porque estou sozinha na empresa, fazendo o serviço de 3 ou se porque cheguei pra trabalhar 2 horas antes e saí 2 horas depois quase todos os dias ou se simplesmente por causa de um job interminável que – finalmente – acabei agora. Ufa!
Desejei tanto que chegasse sexta... o tempo melhorou só hoje, mas a previsão não é das mais promissoras. Já não sei mais se vamos pra Paraty. Até ontem não íamos, mas hoje o sol brilhou, então, quem sabe?
Já eu... tô travada. A energia e o gerador do meu prédio foram pro espaço. Descer os 17 andares me custou batatas das pernas doloridas... ai ai...
Que sexta-feira 13. Ainda bem que hoje é 31.  

segunda-feira, 27 de agosto de 2007


“je crois à la vérité, liberté, beauté et surtout les choses, je crois à l'amour”moulin rouge

Acabei de completar minha coleção de Sex and the City e sexta foi noite das meninas. Amore e eu ficamos assistindo a última temporada. Adoro quando ele me acompanha nessas pequenas coisinhas que eu gosto tanto de fazer. Ainda mais quando o plano era Duro de Matar 4 no cinema...
Sábado foi meu dia de princesa. Manicure, banho de lua, cabelo e maquiagem. Perfeita para o casamento da noite. Vesti meu pretinho básico – e olha que eu não costumo ser nada básica, inclusive esse é meu primeiro vestido preto (pasmem). É que eu adoro vestidos coloridos, tenho um rosa, um lilás, um azul, um roxo e o meu predileto; o vermelho. O casamento prometia ser o mais badalado do século, com direito a alta cúpula do SBT presente, mas eu só vi uns gatos pingados por lá... e apesar de ter sido pomposo, já fui a casamentos melhores. Mas, como casamento é casamento, adorei ver os noivinhos fazendo suas juras, o noivo chamando sua esposa de princesa do seu conto de fadas, a música da valsa não poderia ser mais perfeita, acho até que roubaram essa música de mim... your song, do Elton John, mas interpretada por Ewan McGregor em – nada mais nada menos – do que Moulin Rouge (meu filme predileto!). Adorei as músicas na igreja, especialmente somewhere over the rainbow e o tema da bela e a fera... perfeitas! Eu já fiquei logo sonhando com o repertório do meu casamento. Ontem foi dia de fazer nada, naquela companhia de sempre. À noite saímos pra beber com os amigos – a noite estava perfeita. Planos de um próximo final de semana perfeito em Paraty.
Torçam pro tempo continuar assim... perfeito.
Chega logo, sexta!

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

meus 7 pecados capitais


Aceitei o desafio da Lu. 7 coisas sobre minha vida – que fazem toda a diferença.

1. sou uma pessoa totalmente fechada, com o péssimo costume de acumular coisas dentro de mim. Não que isso me torne uma pessoa amarga ou infeliz, apenas acho um atraso de vida e ainda não aprendi a fazer essa “limpeza” interior;

2. quando eu era criança tinha o cabelo bem curtinho e um dia na praia, eu fingi que era menino só pra poder brincar no meio da molecada. Só não foi muito legal quando mamis apareceu gritando: JULIAANAAAAA;

3. odeio pessoas lerdas... não adianta, não tenho a menor paciência com esse tipo de pessoa;

4. tenho uma amiga – a mais mais de todas, que temos uma conexão espiritual. É incrível como ela sempre me procura quando eu mais preciso ou quando telefonamos uma pra outra quando assim pensamos... outro dia foi engraçado, tivemos o mesmo sonho, no mesmo dia... acredito que temos algo de muito especial;

5. tem um cara que estudou comigo no mesmo colégio por 11 anos, me deu o maior bolo na nossa formatura, ficou mais 10 anos sem me ver e hoje é o amor da minha vida... vai entender, né?

6. não posso morrer antes de conhecer o Egito. Não pergunte por que, mas esse é o lugar mais fascinante do mundo, na minha opinião, claro;

7. não vivo sem chocolate, cinema e coca-cola, simplesmente a-d-o-r-o!

Agora, repassando os pecados, meus escolhidos são: Nath, Malu, Ane, Rainha, Confused Girl, Cin e Carol.   

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

you´re always on my mind, you´re always on my mind









Eu estava escrevendo um post completamente diferente, reclamando de como a semana foi corrida. Enquanto isso, meu pensamento estava no meu amore, que tinha uma entrevista importante. Eu escrevia e estava ansiosa pra saber, ouvir sua voz. No momento que olhei pro telefone e pensei em mandar uma mensagem, ele me ligou. E o melhor de tudo, estava na porta da empresa pra me dar um beijinho. Mais tarde vem me buscar e vai me levar pra jantar. Não quero – nem posso – reclamar de mais nada.
Como sempre, o meu príncipe encantado me salvou. Salvou do meu dia comum e me levou pro meu conto-de-fadas. Aquele que eu tanto gosto de acreditar que existe.
Dei uma escapadinha e fui namorar uns 5 minutinhos. E esses minutinhos estão fazendo a maior diferença aqui dentro. Até mudei o post.
Ah, a entrevista... então, foi tudo muito bem e por isso vamos comemorar!!!

terça-feira, 21 de agosto de 2007

currículo.doc


Quando comecei na publicidade foi como recepcionista de uma agência chamada Light Comunicação, tinha até bons clientes, mas eu era a mera menina do telefone. Depois consegui um bico como freela na Giacometti, agência um pouco maior e lá pude desenvolver trabalhos de pesquisa, na rua, com as simpáticas pessoas de sampa – não desejo isso pra ninguém, aliás, quando puderem sejam (no mínimo) educados com os pesquisadores, ok?
No mesmo dia em que resolveram me contratar lá, fui chamada para a área de mídia da Full Jazz. E esse foi o meu primeiro contato real com a área. Aprendi bastante no ano em que fiquei lá. Conheci a Christina Carvalho Pinto – mulher admirável que, quando eu crescer, quero ser igualzinha. Trabalhei com clientes muito bacanas como Faber Castell, que era meu xodozinho. Afinal, quem é da década de 80 deve se lembrar daquele comercial que tinha a Aquarela como trilha... eu simplesmente  a –  m – o!
Já como assistente, resolvi dar um meio que “passo pra trás” e aceitei voltar a ser estagiária na Young & Rubican. Sim, confesso, queria trabalhar na agência do Roberto Justus.
Pois bem. Lá foi onde conheci a maior parte dos meus amigos da mídia e lá também foi onde vivi muitas decepções com o ser humano. Mas aprendi também que existe boa parte desses seres pela qual vale a pena encarar essas coisas. Fui efetivada, promovida. Mas, como já diria meu diretor, aquilo não me motivava. E trabalhar para o Sr. Justus não era mais o meu objetivo, a euforia tinha acabado.
Recebi uma proposta inesperada. Diga-se de passagem, uma PUTA proposta e hoje sou coordenadora de mídia da NovaS/B. Uma agência bem menor, sim. Mas que me dá qualidade de vida e um baita aprendizado.
Por enquanto, é só. Mas existem algumas boas expectativas por vir.
Quem sabe né??

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

viver e não ter a vergonha de ser feliz












Estou tentando melhorar meus erros e levar a vida um pouco menos a sério. Eu, que sempre tive medo da vida, hoje quero viver cada dia como se fosse o último. E tenho medo de tanta felicidade que me acontece, de tantos sonhos bons. Eu amo viver a vida e descobri que existe um bocado de coisas boas e belas quando se perde o medo de viver assim, tão intensamente.
E meu coração bate rosa, vermelho, amarelo e verde. Quero tudo de bom que o mundo possa trazer e o que vier além. Quero amar, amar e amar. Viver essa paixão louca, essa coisa boa que tenho aqui dentro do peito.
Estou muito feliz, sempre. Parece realmente que papai do céu acertou no presente.
Obrigada!

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

meus sentimentos sujos


Eu sou assim. Imperfeita com muitos defeitos. Eles me incomodam e por mais que eu tente, alguns eu não consigo mudar. Eu sou egoísta – muito. Ciumenta – ao extremo. Mas só sabe disso quem me conhece bem, muito bem. Porque meu egoísmo e meu ciúme não são explícitos, embora fique evidente o quanto as coisas me desagradam, porque eu monto um bico enorme na hora. Mas não falo nada. Eu guardo tudo, absolutamente tudo dentro de mim. Isso também é um defeito e não é nada bom. Não gosto de discutir porque sei que na maioria das vezes, tudo o que me aborrece é uma grande besteira. Mas eu sou assim. O que posso fazer? Eu me irrito fácil com coisas pequenas, eu sei. E me irrito profundamente ao ponto de estragar uma noite. E continuo calada, com tudo aqui dentro e aquele baita bicão pra fora. Eu quero que percebam que estou brava, mas não quero que saibam o motivo. Eu quero que o motivo seja adivinhado e que as pessoas submetam-se aos meus caprichos. Eu sei, eu sei... é loucura...
Meus amigos – os verdadeiros, sabem. Isso não me faz bem, mas já é quase uma característica minha. Peculiar, particular, intrínseca. Essa sou eu. Imperfeita. Eu, ao menos, admito e confesso. Muitos não têm essa coragem. Eu fico com pena de mim, pena desses sentimentos tão baixos... tão sem valor, mesquinhos, diminutos.
Hoje, estou triste por isso. Por ser assim. E por ficar (e ainda estar) irritada com uma coisa sem sentido que acabou estragando a noite de ontem. Vou continuar tentando, trabalhando isso aqui dentro. Me faz um mal danado, eu sei. Mas é como eu disse, sou assim.

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

12 de junho de 2009











Eu procurei uma data que conciliasse a entrega do apartamento e sua reforminha básica com mais um tempinho pra juntar uma graninha, afinal, casamentos custam caro. Desde que compramos nosso ap, não paramos mais de sonhar com cada detalhe. Olhamos atentos às revistas de decoração em busca de idéias que deixem tudo com a nossa cara. É difícil, porque gosto é gosto e cada um tem o seu. Mas, tenho certeza que uma hora vamos acabar entrando num acordo.
Eu sempre sonhei com flores na varanda e uma casa de portinha amarela. Sempre imaginei também que eu me casaria da forma que eu desejasse. Como e quando me desse na telha. Só me esqueci de um fator, digamos, um pouco importante – dinheiro.
O pé de feijão que eu plantei não cresceu o suficiente pra me levar até os tais ovos de ouro.
Eu nunca fui muito de sonhar, mas acho que quando encontramos a felicidade verdadeira, queremos sempre aquele conto de fadas pra gente. E eu consigo ficar horas sonhando com a cor do vestido, das toalhas na mesa, com o lugar, com cada coisinha que eu queria pro meu dia de princesa. Eu sei que eu viajo muito e meu amor me traz sempre de volta pra terra...
Esse final de semana fizemos planos para nosso casamento. É difícil planejar, ainda está meio longe. Embora nós quiséssemos que o tempo passasse num segundo, a gente bem sabe o quanto é importante que ele passe assim mesmo, devagar, devagar. Afinal, o dinheiro precisa ser economizado e guardado... detesto isso, mas meu namorado disse que eu preciso ter foco. E eu concordei com ele.
E como sonhar não custa nada, eu sonho até acordada. Esperando o tal dia chegar. Se tudo der certo, acho que escolhemos uma boa data pra casar, não é?

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

i´ve got you under my skin
















Às vezes se eu me distraio, se eu não me vigio um instante, me transporto pra perto de você. Já vi que não posso ficar tão solta, que vem logo aquele cheiro que passa de você pra mim num fluxo perfeito. Enquanto você conversa e me beija, ao mesmo tempo, eu vejo as suas cores no seu olho tão de perto. E me balanço devagar como quando você me embala e o ritmo rola fácil, parece que foi ensaiado.


E eu acho que gosto mesmo de você, bem do jeito que você é. Eu vou equalizar você, numa freqüência que só a gente sabe. Eu te transformei nessa canção, pra poder te gravar em mim.
Adoro essa sua cara de sono e o timbre da sua voz que fica me dizendo coisas tão malucas. E que quase me mata de rir quando tenta me convencer que eu só fiquei aqui porque nós dois somos iguais. Até parece que você já tinha meu manual de instruções porque você decifra os meus sonhos. Porque você sabe o que eu gosto e porque quando você me abraça o mundo gira devagar.

E o tempo é só meu e ninguém registra a cena, de repente vira um filme em câmera lenta. E eu acho que eu gosto mesmo de você, bem do jeito que você é.

Equalize - Pitty

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

o que as mulheres são capazes de fazer por uma paixão?


Praticamente tudo. Alguém, em seu estado normal, pode conceber que, na era pré-celular, havia quem passasse o dia inteiro em casa porque ele poderia telefonar? Converse com algumas mulheres dessa época e elas terão muitas histórias pra contar, todas ab-so-lu-ta-men-te idênticas. Porque elas (nós), quando se apaixonam, são todas iguais.

As apaixonadas mentem para o chefe com a cara mais inocente e adoecem a tia ou a mãe sem nenhuma culpa, arriscando o emprego e talvez o futuro, para ficar com ele mais algumas horas na manhã de segunda-feira. A criatividade de uma mulher apaixonada não tem limites.

Se ele não é totalmente livre, digamos assim, ela vai descobrir o nome da outra, a profissão, o número do telefone do trabalho, o nome e a idade dos filhos em mi-nu-tos.

Para uma mulher apaixonada, é fundamental ter uma amiga com poucos escrúpulos, muito tempo vago, hábil e com talento para fazer todos os papéis, se for preciso – e sempre é. Porque ela é quem vai ligar à noite para saber se ele está em casa, vai se plantar dentro do carro até de madrugada pra ver se ele vai entrar sozinho no apartamento ou com alguma vadia. Essa amiga topa dar uma festa só pra você usar seu vestido mais sexy – e convidá-lo, claro.

Ah, as mulheres apaixonadas: por mais sérias que sejam, por mais responsáveis diante do mundo, viram doidivanas quando um homem consegue atingir seu coração. Elas são maravilhosas, todas tão diferentes e tão iguais. Se você tem uma ou duas amigas assim, aproveite para aprender o verdadeiro sentido da vida. Afinal, o que seria do mundo sem as mulheres?

* paixão, mulheres e amigas – Danuza Leão (Cláudia/Ago) – adaptado por mim

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

o que te faz feliz?


A lua, a praia, o mar
A rua, a saia, amar…
Um doce, uma dança, um beijo
Ou é a goiabada com queijo?

Afinal, o que faz você feliz?

Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde,
Arroz com feijão, matar a saudade…
O aumento, a casa, o carro que você sempre quis
Ou são os sonhos que te fazem feliz?

Um filme, um dia, uma semana,
Um bem, um biquíni, a grama…
Dormir na rede, matar a sede, ler…
Ou viver um romance?

O que faz você feliz?
Um lápis, uma letra, uma conversa boa
Um cafuné, café com leite, rir à toa,
Um pássaro, ser dono do seu nariz…
Ou será um choro que te faz feliz?

A causa, a pausa, o sorvete,
Sentir o vento, esquecer o tempo
O sal, o sol, um som
O ar, a pessoa ou o lugar?

Agora me diz
O que faz você feliz?



esta é uma poesia de Arnaldo Antunes para o comercial do Pão de Açúcar, que há tempos eu procurava e encontrei na comunidade de querida...