quarta-feira, 28 de abril de 2010

wonderland


Eu sempre fui fã da história, assisti a um filme bem antigo e ao desenho, já li a versão pocket em inglês, mas a versão de Tim Burton arrasa. E olha que nem é só por causa do Johnny-sofuckingood-Depp! Não, não!
A história é muito bem contada, amarrada e o estilo do filme – tão peculiar, o faz ainda melhor. Foi minha estréia em cinema 3D, morria de medo de ficar tonta devido à minha pseudo-labirintite, ou não enxergar direito devido à minha miopia, mas, que nada.
Fantástico! Adorei tudo, simplesmente. Exceto pelo cinema cheio em plena terça-feira, com gente sem educação e barulhenta, tava tudo perfeito. Eu super recomendo, mas se der, comprem os ingressos pela internet, porque eu só consegui porque comprei na hora do almoço, tô desde sábado tentando ver. Vale a pena!

- that´s impossible!
- only if you believe it is.

terça-feira, 27 de abril de 2010

filhotes


Domingo, minha melhor amiga ganhou bebê. Rafael é o nome dele. É engraçado pensar que estamos casando, tendo filhos, em resumo, envelhecendo. Ontem mesmo a gente ainda sofria com amores de infância e provas de matemática.
O tempo mais do que voa, é impressionante. Logo ela, que como eu não tinha filhos no plano. No caso dela, dizem, foi acidente. Vai saber. Eu continuo não querendo por vários motivos, aliás, cada dia menos vontade eu tenho.
Mas, ver minha amiga amamentando, pegando seu bebê com todo o receio do mundo, foi emocionante. Quando ela me ligou no sábado à noite dizendo que haviam antecipado o parto, percebi o quanto ela estava nervosa e com medo. Eu tentei tranqüilizá-la dizendo que nada daria errado e quem acabou ficando ansiosa fui eu.
E domingo de manhã, Rafael nasceu com seus 49 cm e alguns quilos. Ele é muito fofinho, mestiço, olhos puxados, uma gracinha. O engraçado é só imaginar o quanto nossas vidas mudam, principalmente depois de um filho.
Fiquei feliz por ela.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

eu sei lá


Eu já quis fazer tantas coisas: balé clássico, aula de teatro, pintura, artesanato. Já quis ser tantas coisas: professora, veterinária, jornalista, dona de casa. E também sonhava na felicidade eterna, crianças lindas, casa com flores na janela, marido perfeito, carro do ano, etc.
Alguns sonhos ficaram pelo caminho, outros eu mesma fiz questão de esquecer e outros matei por conveniência. E segui em frente, porque a gente sempre tem que seguir independente de qualquer coisa.
Ainda tenho alguns planos, talvez até mais fáceis e palpáveis, mas nada muito sob meu controle. Alguns até dependem só de mim, é que às vezes acho que eu sou muito pouco pra tudo o que planejo. Tenho medo.
Medo de não corresponder às minhas expectativas. Medo da infelicidade, da solidão e até da loucura. Sim, porque a cabeça do ser humano é uma coisa louca. E se você pára pra pensar muito, endoidece mesmo.
Sei lá... só sei que tô assim.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

pra pensar


Tem muita gente que se distrai e é feliz para sempre, sem conhecer as delícias de ser feliz por uns meses, depois infeliz por uns dias. Viver não é seguro. Viver não é fácil. E não pode ser monótono. Mesmo fazendo escolhas aparentemente definitivas, ainda assim podemos excursionar por dentro de nós mesmos e descobrir lugares desabitados em que nunca colocamos os pés, nem mesmo em imaginação. E, estando lá, rever nossas escolhas e recalcular a duração de “para sempre”. Muitas vezes o “para sempre” não dura tanto quanto duram nossa teimosia e receio de mudar.
Martha Medeiros

segunda-feira, 12 de abril de 2010

brincando de casinha e de casada


Ri teve a brilhante de idéia de conhecermos o Museu do Futebol no sábado. Eu tava era com medo da chuva e do frio que vinha fazendo, mas cedi, afinal, futebol é comigo mesmo. Comemos pastel na feira da Praça Charles Muller, claro, bem a calhar não?
Adoramos o Museu, achei super bem feito, muito interessante. Passamos a tarde inteira por lá. Tem muita coisa bacana, divertida, enfim, com certeza valerá um post a parte. À noite, aniversário de uma amiga num barzinho super charmoso na Angélica, o Salommão.
Domingo foi dia de não fazer nada. Mas me arrisquei um pouco na cozinha. Pro almoço o menu foi uma das minhas especialidades [como se tivesse muitas]: estrogonofe de carne. Hummm, modéstia a parte, ficou muito bom mesmo. Adoro comidinha fresca.
Aliás, tudo começou na sexta a noite, quando cheguei verde de fome e aquele friozinho me inspirou um risoto a parmegiana com camarões fritos. Marido aprovou! E pra fechar, jantamos uma omelete toda especial que inventei com recheio de peito de peru, mussarela e tomate.
Adoro!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

pra não dizer que não falei da páscoa


Dia 1º foi aniversário de um amigo do Ri que há anos mudou-se para o interior, mas que a amizade continua a mesma. Aí resolvemos fazer uma surpresa e aparecer por lá [em São José do Rio Preto] na quinta mesmo.
São uns quase 500 km, saímos daqui na véspera do feriado, super tarde, mas mesmo assim conseguimos chegar faltando 2 minutos pra meia-noite e ver aquela cara impagável de surpresa. Esse tipo de atitude, não tem preço.
Passamos um feriado super agradável lá na casa dele, comemos muito, conhecemos um pouco da cidade e jogamos muito Wii [é, pois é]. Domingo, aproveitei a sorte de ter jogo do Timão lá na cidade e aproveitei pra matar a saudade de ver meu time em campo e conhecer o Teixeirão. O jogo foi morno, mas conseguimos a vitória. O duro mesmo foi o calorão, devia fazer uns 65 graus.
A volta, com trânsito, foi bem cansativa, mas coisas assim na vida não tem preço que pague. Foi tudo muito bom!