terça-feira, 29 de junho de 2010

sempre haverá saída
















O Gato apenas sorriu quando viu Alice. Parecia de boa índole, ela pensou, mas não deixava de ter garras muito longas e um número respeitável de dentes, por isso ela sentiu que devia ser tratado com respeito.

- Gatinho de Cheshire... - começou um pouco tímida, pois não sabia se ele gostaria do nome, mas ele abriu mais o sorriso.

- Poderia me dizer, por favor, que caminho devo tomar para sair daqui?

- Isso depende bastante de onde você quer chegar - disse o Gato.

- O lugar não me importa muito... -  disse Alice.

- Então não importa que caminho você vai tomar - disse o Gato.

- ...desde que eu chegue a algum lugar - acrescentou Alice em forma de explicação.

- Oh, você vai certamente chegar a algum lugar - disse o Gato - se caminhar bastante...

Trecho de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll

segunda-feira, 28 de junho de 2010

...


Se eu tivesse direito a um desejo, nesse instante, pediria paciência. Ô coisinha difícil de se ter.

terça-feira, 22 de junho de 2010

inverno















Chegou o frio. Particularmente, a estação perfeita pra ficar na cama vendo um bom filme. Boa também pra vestir roupas mais elegantes, comer muita massa e muito chocolate, beber bebidinhas quentes e ficar agarradinho com quem a gente ama.
O ruim é ter que fazer todas as outras coisas.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

por que te callas?















* o silêncio do outro me faz barulho na cabeça
Acho tão melhor por pra fora do que se manter calado.

terça-feira, 15 de junho de 2010

só pra constar


Comemoramos o dia dos namorados no show do Capital Inicial, no Credicard Hall. Coincidentemente foi lá que o Ri disse eu te amo pela primeira vez. Porque o importante é não deixar nunca de sermos namorados.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

minha morena









A Luna fez uma cirurgia sábado e está ainda mais dengosa do que nunca. Ela parece uma criança, fazendo cara de coitada e tudo. Morro de dó, adoro mimá-la. Graças a Deus ela já está melhor agora. Eu a amo muito!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

coisa de alma


Conheci o Gui em 2006, quando entrei na Y&R. Me lembro bem que quando cheguei na agência pela primeira vez, ele estava na recepção numa roda só com pica grossa (Roberto Justus, Quintela, etc). E ele estava de terno preto e um all star branco. Achei o máximo!
Não éramos da mesma equipe, mas fizemos algumas coisas juntos. E só isso foi o suficiente pra eu admirá-lo como profissional – inteligentíssimo! Lembro que pouco falávamos sobre nós, era sempre sobre trabalho e tal.
No meu último dia lá, lembro de ter encontrado com ele por volta da meia-noite no estacionamento. Eu estava esperando minha carona e ele o táxi. Ele nem sabia que era meu último dia, mas disse que a gente ia se falando. Nunca levei muito a sério, até porque nossa relação era muito distante e ele era diretor, eu era uma simples assistente. Só depois eu viria a descobrir que isso pouco importa pra ele.
Em 2007, ele me chamou no msn dizendo que tinha uma vaga na equipe dele. Eu topei porque estava muito insatisfeita onde estava. E fui. Entre nós surgiu um laço muito forte de amizade, que hoje o considero um irmão de alma e sei que ele a mim, aliás, ele já me disse isso várias vezes.
A gente trocava confissões sobre tudo e o nosso trabalho parecia uma sinfonia, tudo fluía naturalmente. Nós tínhamos química. Até que ele saiu da agência em fevereiro deste ano e meu mundo caiu. Achei que meus dias nunca mais seriam coloridos como eram.
Mas, que nada. Tudo continua [com um pouco menos de cor, é verdade], mas ele continua presente todo momento. Ele manda emails maravilhosos [daqueles que te colocam pra cima]. No msn, manda links de músicas maravilhosas, letras de músicas. Às vezes manda um sms dizendo que lembrou de mim porque viu algo de que eu gostava. Enfim, ele se faz presente diariamente, alegrando tudo a minha volta.
E ele sempre diz que logo logo estaremos juntos de novo. Assim espero. Porque o Gui é um ser iluminado, e eu o admiro muito como pessoa, profissional e homem. Adooooooooooooro!

terça-feira, 8 de junho de 2010

sobre o medo


Tienen miedo del amor y no saber amar
Tienen miedo de la sombra y miedo de la luz
Tienen miedo de pedir y miedo de callar
Miedo que da miedo del miedo que da
Tienen miedo de subir y miedo de bajar
Tienen miedo de la noche y miedo del azul
Tienen miedo de escupir y miedo de aguantar
Miedo que da miedo del miedo que da
El miedo es una sombra que el temor no esquiva
El miedo es una trampa que atrapó al amor
El miedo es la palanca que apagó la vida
El miedo es una grieta que agrandó el dolor
Tenho medo de gente e de solidão
Tenho medo da vida e medo de morrer
Tenho medo de ficar e medo de escapulir
Medo que dá medo do medo que dá
Tenho medo de ascender e medo de apagar
Tenho medo de esperar e medo de partir
Tenho medo de correr e medo de cair
Medo que dá medo do medo que dá
O medo é uma linha que separa o mundo
O medo é uma casa aonde ninguém vai
O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar
Tienen miedo de reir y miedo de llorar
Tienen miedo de encontrarse y miedo de no ser
Tienen miedo de decir y miedo de escuchar
Miedo que da miedo del miedo que da
Tenho medo de parar e medo de avançar
Tenho medo de amarrar e medo de quebrar
Tenho medo de exigir e medo de deixar
Medo que dá medo do medo que dá
O medo é uma sombra que o temor não desvia
O medo é uma armadilha que pegou o amor
O medo é uma chave, que apagou a vida
O medo é uma brecha que fez crescer a dor
El miedo es una raya que separa el mundo
El miedo es una casa donde nadie va
El miedo es como un lazo que se aprieta en nudo
El miedo es una fuerza que me impide andar
Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo
Medo estampado na cara ou escondido no porão
O medo circulando nas veias
Ou em rota de colisão
O medo é do Deus ou do demo
É ordem ou é confusão
O medo é medonho, o medo domina
O medo é a medida da indecisão
Medo de fechar a cara, medo de encarar
Medo de calar a boca, medo de escutar
Medo de passar a perna, medo de cair
Medo de fazer de conta, medo de dormir
Medo de se arrepender, medo de deixar por fazer
Medo de se amargurar pelo que não se fez
Medo de perder a vez
Medo de fugir da raia na hora H
Medo de morrer na praia depois de beber o mar
Medo... que dá medo do medo que dá
Miedo... que da miedo del miedo que da
miedo – julieta venegas
porque eu tô assim, numa fase meio julieta venegas

quarta-feira, 2 de junho de 2010

ouvindo hoje pela manhã


O teu futuro é duvidoso, eu vejo grana, eu vejo dor. No paraíso perigoso que a palma da tua mão mostrou. (...) Quem vem com tudo não cansa. (...) Quem tem um sonho não dança.
E assim eu sigo acreditando.

Barão Vermelho – bete balanço