terça-feira, 28 de junho de 2011

je ne parle pas français














Se tem uma coisa pra qual eu tenho facilidade é pra línguas. Fluente mesmo não sou em nada além da minha língua natal, mas me viro muito bem no inglês e no espanhol. E aí que eu acho chique falar muitas línguas, dá um ar de muita inteligência à pessoa, sem contar que ninguém vai poder fazer uma piada com a sua cara em outra língua, porque aí você vai entender.
Mas, modéstia a parte, eu tenho facilidades sim. E aí que esses dias andei confirmando as reservas de hotéis da viagem e pra Londres mandei email em inglês, Madri e Barcelona em espanhol, mas aí tinha que mandar pra Paris e as outras cidades da Itália, e eu queria tanto, mas tanto mandar em francês ou italiano.
Italiano ainda dá pra se virar porque muitas palavras são primas do espanhol, mas tem aquelas particularidades como um grazie que soa tão bonito. Francês pra mim é quase latim, mas quando recebi os emails de volta (tive que mandar em inglês mesmo), com um au revoir! ou com um merci!, aí vi que era hora de me esforçar um pouquinho mais e tentar esboçar algumas palavras em francês.
Aí, dada a minha facilidade, peguei aqueles cursinhos de cd emprestado com uma amiga e tô arriscando a aprender algumas coisas. O básico eu já sei dizer, bom dia, obrigada, desculpe, prazer meu nome é, quanto custa, enfim, pequenas coisas, mas que significam muito.
Estou feliz em aprender, eu gosto de mostrar esse cuidado. Não me interessa que ninguém aprenda português ou que ninguém se importe com isso quando vem pra cá, na verdade, nem me preocupo com isso, mas eu gosto. Gosto de olhar no olho da pessoa e pelo menos poder falar um merci ou um bonjour, por que não?
Eu não falo francês, ainda.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

as últimas novidades


O que está fazendo a pena aturar ficar aqui na agência esses últimos dias é que aos poucos estou me despedindo de alguns clientes e só recebendo elogios de volta. Boas vibrações e desejos de sucesso no futuro. Toda essa vibe positiva vem me dando forças pra agüentar essa última semana. Graças a deus, estou colhendo os frutos dos meus quase quatro anos aqui.
Bem, hoje não queria trabalhar, porque vamos combinar que chuvinha e frio só combinam com cama né, mas como sou responsável (ah como isso às vezes cansa), levantei e enfrentei esse mau tempo e cá estou.
Meu feriado começou muito bem, com direito a um dia pra mim no salão, cuidando das madeixas. Almoço com direito a presentinhos de amigos queridos que fiz o casamento ano passado.
Sexta, jantei na Lanchonete da Cidade com amore e depois fomos ver a peça Os homens são de Marte é pra lá que eu vou. Gostei viu...  Ainda deu tempo de chegar em casa e ver o último capítulo de Anos Incríveis (no Viva, adoro!!).
Sábado fui fechar alguns detalhes com a nova noivinha que vou assessorar (tô feliz feliz!!!). Mais tarde, jantamos no Gibran, um rodízio de esfihas delícia que amore comprou naqueles sites  de compras coletivas que amamos.
E ontem, almocei no Sacramento, restaurante de motoqueiros que fica no Serra Azul. Fui de moto pra agradar amore. Depois, pra me agradar, passamos no Outlet Premium. Não sei porque insisto em ir nesse lugar. É a segunda e última vez que vou, brasileiro não sabe qual o verdadeiro sentido da palavra outlet. Ah, e depois 5x0 do meu timão... fechando com chave de ouro!
Foi isso. Adoro feriados prolongados.

terça-feira, 21 de junho de 2011

meta mais que alcançada!


Sabe aquela sensação de dever cumprido? Pois bem, demorou, mas consegui.
Depois de muitas entrevistas desmarcadas, remarcadas, depois de muitas frustrações diante de oportunidades quase certas mas que nunca se oficializaram, depois de alguém tentar me detonar no mercado, finalmente fui agraciada com um novo emprego.
Graças a deus recebi um telefonema super esperado confirmado que a vaga era minha. E mais que isso, que eu vou poder sair de férias normalmente, sem problemas.
O melhor de tudo isso é que sinto como se tivesse completado um ciclo, depois de quase 4 anos na agência que estou hoje. Fico nela até o final do mês, depois vou pra nova agência, depois viajo e volto.
Aliás, melhor que isso é saber que todo mundo que conhece meus futuros chefes me dizem que eu vou amar, que eu vou aprender muito, que são pessoas super do bem e muito divertidas.
Nossa, só deus sabe o peso que saiu das minhas costas e o quanto eu sou grata por isso ter me acontecido. Não tinha melhor momento. Realmente tudo tem sua hora.
A minha meta do ano era voltar da Europa pra um lugar melhor: meta alcançada!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

europa ai vou eu!




























Mês que vem vamos fazer um mochilão de 20 dias pela Europa. Ri, eu e mais 6 amigos. Mochilão literalmente, nas costas e tudo mais. Fechamos a viagem pouco a pouco desde o ano passado. Pagamos as passagens bem antes e pegamos uma cotação muito boa do euro na época.
Aí fizemos intermináveis reuniões pra decidir roteiro, países, pra fechar hostel, albergue, comprar bilhetes de trem, passagens de avião entre os países, uma loucura. O bom é que todos esses encontros eram sempre muito divertidos e acabavam em pizza com vinho e cerveja.
Quase oito meses depois de muita preparação, estamos com tudo finalizado. E essa semana eu fiquei incumbida de confirmar todas as reservas de hotéis. E foi tão gostoso receber os emails com ciao Juliana ou au revoir Juliana ou dear Juliana ou hasta luego Juliana.
Me senti tão querida e tão esperada, sabe? Como se fosse um amigo querido que eles estão esperando. Pouco me importa se dizem que europeu é tudo grosso. Grosseria tá cheia no mundo, principalmente no meu prédio, no meu trabalho, nos lugares que freqüento. Então, prefiro acreditar que estão todos mesmo me esperando com muita simpatia. Ao menos foi assim que me senti ao ler os emails.
Vamos visitar primeiro Madri, depois partimos pra Londres, em seguida Paris e então Itália. Na Itália vamos conhecer Roma, Florença e Veneza. De lá partimos pra Barcelona onde encontraremos com um amigo. Aliás, eu tenho amigos que pretendo encontrar também em Londres e Florença. De Barcelona faremos uma parada em Toledo e voltamos pra Madri, de onde sai nosso vôo de volta pra casa.
Vai ser tudo! Ainda mais pra mim que nunca sai do Brasil. Ri ainda teve a sorte de ir pra Londres e Alemanha na semana passada, mas como foi a trabalho nem deu tempo de conhecer direito. Enfim, contando os dias agora (faltam 30, eba!!!!).
Quando voltar vou ter muita história pra contar. 

domingo, 5 de junho de 2011

chegadas e partidas


Tem um programa no GNT chamado Chegadas e Partidas, apresentado pela Astrid. Eu sempre vejo de domingo à noite e adoro esse programa. Ele é gravado no aeroporto e a Astrid entrevista as pessoas que estão ali, se despedindo ou esperando ansiosamente por alguém que vai chegar.
A vida é uma eterna repetições de chegadas e partidas, sempre com muita gente indo e vindo por nossas vidas, uma coisa de doido. E logo eu que não sou de me emocionar facilmente, sempre que vejo esse programa fico toda emotiva.
Adoro ver os reencontros e acho as despedidas uma coisa horrorosa. Pois bem, ontem lá estava eu no aeroporto me despedindo do Ri. Primeira vez dele fora do Brasil e primeira vez também que a gente vai ficar tanto tempo (tá, são sete dias...) longe depois que casamos.
Os olhinhos dele encheram de lágrimas quando o horário do vôo se aproximou. Fiquei agarrada a ele um pouquinho, meio que tentando grudar o cheirinho dele em mim, pra não esquecer sabe? Pra tentar dormir meio que imaginando que ele tá ali do lado...
É esquisito como a gente se acostuma com a pessoa. A casa vazia, a cama vazia, eu aqui sozinha... sei lá, imaginando que ele está lá do outro lado do mundo, tão longe...
Bom, tomara que a semana passe voando, porque domingo que vem lá estarei de novo no aeroporto, esperando o Ri chegar.