sexta-feira, 15 de julho de 2011

até logo


às vezes quando tudo dá errado
acontecem coisas tão maravilhosas
que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo


acho que isso resume minha fase atual de vida
e estou indo rumo à europa
volto em 20 dias


quarta-feira, 13 de julho de 2011

na correria dos dias


Essa semana completo duas semanas de trabalho novo. Graças ao bom deus, tudo vai muito bem, obrigada. Acredito que estou onde deveria estar e na hora certa. Se a primeira impressão é a que fica, ótimo! Estou gostando de tudo e principalmente das pessoas (coisa não muito comum eu diria).
Semana que vem é férias!!! Embarco na segunda pra Madri, rumo ao meu mochilão pela Europa (ansiedade me mata um dia!!!). Os dias estão numa correria só. Lista de coisas pra levar, arrumar a mala, ops, mochila, separar as coisas, agendar os pagamentos desse período que estarei total in off, baixar músicas pra colocar no iPod, tomar vacina, atualizar documentos...
Afe, no meio aniversários, casamentos, festas, comemorações, não tô dando conta não. Pra não dizer que não faço nada nas horas vagas (horas vagas??? o que é isso????), estou acompanhando a série The Kennedys do A&E, está muito bem feita. Espero que esteja mesmo sendo bastante fiel à verdadeira história da família.
Hoje decidi fazer uma nova tatuagem será a 10ª (vicia), mas só vou contar mais pra frente. Assim que voltar da Europa vou tatuar, certeza! Quando enfio isso na cabeça, nada tira. Ah, compramos um pacote pra Argentina, vamos em novembro (comemorar com um pouco de atraso nossos 2 anos de casados!!), de lambuja ganhamos umas diárias em Búzios, mas por esse ano acho que chega de viagem né....
Vou deixar um pouquinho pro ano que vem, que por sinal, tá logo aí.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

ponto final


Ontem foi meu último dia na agência. Detesto essa coisa de “último isso”, parece que é o fim das coisas. Mas, não vou negar que o dia teve um sabor todo especial. Bom porque eu finalmente me livro de pessoas com as quais não vale a pena conviver, prazeroso por ver nos emails de cada cliente um agradecimento carinhoso pelo meu trabalho, realizador por esfregar na cara de muita gente o quão elas estavam erradas a meu respeito, surpreendente por ter recebido desejos bons de quem eu menos esperava, um pouco decepcionante por não receber adeus de todos que eu queria (ou esperava), dolorido por me despedir de alguns queridos, mas no fim, saldo totalmente positivo.
Por sorte do destino (nada é por acaso), as pessoas que mais desprezo não estavam lá na hora da despedida, ou seja, não precisei incorporar nenhum papel e nem ser falsa (coisa que odeio, mas que às vezes é necessária). Então saí de lá de cabeça erguida e leve.
Não que eu não tenha lembranças boas de lá. Ao contrário, tenho ótimas e inesquecíveis lembranças. Algumas das melhores pessoas que conheci são dali, mas quase nenhuma está lá ainda. Passei muitas coisas boas, tive ótimos momentos e cheguei a amar trabalhar ali, mas isso foi há algum tempo já, nesses quase quatro anos.
Ultimamente, sair de lá era o que minha mente precisava pra poder ter uma arejada, o que meu corpo precisava pra ter descanso, minha alma precisava pra ter paz. Deixei coisas boas ali, fiz amizades verdadeiras, surpreendi pessoas e fui surpreendida, mas é um ciclo que se encerra.
A vida é cheia dessas coisas. Último dia da escola, último dia de férias, última vez que viu um amigo, enfim...  faz parte, como disse outro dia, chegadas e partidas, idas e vindas, a vida é assim. E assim eu gosto de vivê-la. Porque hoje eu comecei na agência nova, é uma sexta inusitada e amanhã já é sábado.
O que mais eu posso querer?