sexta-feira, 21 de abril de 2017

#chateada*

Nos últimos dias, alguns conhecidos mudaram de emprego. Fico feliz (de verdade), porque sei que é a coisa mais normal e natural dessa vida: ir atrás de coisas melhores pra nós. E é tão gratificante quando acontece, especialmente quando é merecido, que nem sei descrever a sensação.
Nesses meus doze anos de carreira, até ter sido demitida no ano passado porque, além de carregar o cliente mais importante nas costas e fazer o trabalho da minha diretora, falei por aqui que meu chefe era mole (o que não era mentira nenhuma), era isso que acontecia na minha vida.
Sempre que eu conseguia um trabalho novo, era uma oportunidade de grana melhor. E também de aprendizados. Mesmo os lugares mais escrotos sempre me ensinaram algo: não ser escrota como eles, por exemplo.
E, tirando o fato de tudo ter sido mérito próprio e não pagação e babação de ovo, eu sempre sentia aquele orgulhinho quando conseguia esses tão esperados up grades da vida. Mas, já completei um ano em que tive que tomar uma decisão, que sim foi a mais acertada no momento, de andar pra trás.
Sim, eu ocupo um cargo abaixo do que eu tinha, ganho muito, muito menos do que há 3 anos atrás e não vejo nenhuma perspectiva de melhora. Ouço promessas, blá blá blá, até acredito nelas, mas honestamente, me vejo estagnada.
Continuei procurando coisas melhores, mas elas não parecem destinadas a mim nesse momento. Muito também em função da minha decisão de voltar um cargo pra trás. Sim, minha carreira é muito preconceituosa.
Então a gente segue a vida, segue o jogo e eu continuo fazendo meu trabalho. Acompanhando, dia após dia, um colega conseguir um melhor trabalho, todo mundo caminhando pra frente, seguindo pra cima, crescendo.
E eu fico um pouco chateada por ter sido a única a ir pra trás e continuar lá, mesmo sabendo que não é exatamente isso que eu mereço. E sim, estou morrendo de inveja dessas pessoas. Mas, por favor, entendam que inveja não é desejar o mal (pelo menos não no meu caso, ou neste caso). De verdade. Só queria ter um pouco disso também.
Mas, dizem que estamos exatamente onde deveríamos estar, então quero acreditar que algo de muito bom está por vir. Tá difícil, mas quero muito acreditar.

*aos 45" do segundo tempo, troquei o título desse post (era inveja anteriormente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário